sábado, 4 de novembro de 2017

O poder medicinal da arruda

Muito antiga, a Arruda acompanha a humanidade desde tempos antigos.

Na Grécia e em Roma já se conhecia seu uso para banhos contra sarna, piolho e percevejo e, em chá, para tratamento de convulsões, estados febris e para casos de “sangue preso”.

Também vem de longe o seu uso em “escalda-pés” que era tido, pelas mulheres da época, como um santo remédio para menstruações em atraso, regras doloridas e parto difícil.

Sim, e desde esses tempos já se sabia que a arruda é planta tóxica e abortiva se usada em dosagens maiores ou em pessoas mais sensíveis.


Mas a santa arruda teve também seus dias de glória em tempos da peste negra quando era usada, macerada em vinagre, como tônico que afastaria as doenças contagiosas. Esse vinagre podia ser tomado como preventivo e também era usado para embeber as máscaras dos que tratavam dos doentes, dos que os levavam a enterrar e até era usada pelos bandidos que roubavam os mortos. Também era usado na desinfecção de mãos e partes enfermas, em lavagens, banhos e compressas. Isso lá no tempo de Ibn Sina, o maior médico da história antiga da humanidade.

Uso medicinal

Como remédio a arruda é usada na homeopatia, em sua forma dinamizada ou como óleo essencial, para uso tópico em feridas e contusões. A homeopatia também a recomenda para casos de esgotamento físico, varizes e hemorroidas e em massagens para aliviar os pés, tornozelos e cotovelos doloridos.

Contraindicações

O uso interno da arruda deve ser muito cuidadoso.
Tudo o que cura, em excesso, é veneno, essa é uma verdade da natureza, portanto, com esta e outras plantas, quaisquer que sejam, antes de usar estude muito bem as dosagens e faça, sempre, um teste de sensibilidade (esfregue uma folha da planta, bem macerada, na pele do seu pulso, ou atrás da sua orelha, e observe a reação do seu corpo. Se empipocar, rejeite a planta para você).

De qualquer maneira podemos afirmar que o uso da arruda deve ser evitado em gestantes e lactantes. As gestantes, em trabalho de parto difícil, podem até ser ajudadas por esta planta mas, só se a doula a conhecer muito bem. De contrário, não se arrisque pois a arruda pode até matar.

Doses fortes do chá de arruda podem causar vertigens, tremores, convulsões e hemorragias internas. Agora não me pergunte o que é “dose forte” pois, a minha experiência pessoal com arruda é de fazer o chá com 1 a 3 folhinhas miúdas para uma xícara de água quente e, na internet, tenho visto receitas muito mais fortes que essa. E eu não experimentaria nada além dessas 3 folhinhas, e olhe lá!

O óleo de arruda também pode dar reação adversa pois, em alguma medida este é um óleo fotosensível. Portanto, use seu óleo de noite, é mais seguro.

A arruda é considerada pela Anvisa como uma erva medicinal para uso tópico, externo, dada a sua toxicidade e riscos de abuso na dosagem.