sábado, 1 de setembro de 2018

Propriedades e benefícios do milho

Ele é o cereal mais consumido do mundo e está presente em nossa alimentação desde primeiros segmentos da agricultura.

O milho foi descoberto há mais de 7 mil anos, em algumas regiões da América Central e do México. O nome tem origem indígena e significa “sustento da vida”, o que por si só revela tratar-se de um produto rico – possui sais minerais, proteínas e vitaminas B1 e E. Historicamente, foi de vital importância para os olmecas, maias, astecas e incas, que utilizavam o ingrediente como fonte da alimentação básica, tanto que passaram a ser conhecidas como as “civilizações do milho”. Por aqui também foi importante ao se tornar complemento da base alimentar indígena, ao lado da mandioca. Atualmente, existem mais de 250 espécies, mas comercialmente são exploradas apenas cinco: pipoca, duro, dentado, farináceo e doce. O Brasil é o terceiro maior país em área plantada, com cerca de 13 milhões de hectares, sendo a maior parte da produção voltada para a indústria ou ração animal.
É considerado cereal, quando seus grãos são secos e legume, quando fresco. Na cozinha, graças a essa versatilidade transforma-se em inúmeras receitas de doces a salgadas, algumas até já são consideradas ícones, como a pamonha, o curau e o creme de milho. Do fubá, a farinha de milho, surgem pratos como o cuscuz, polentas, além de pães e bolos. Há ainda subprodutos como o óleo, xarope e até mesmo bebidas.

Propriedades e benefícios do milho:

1- O milho é rico em antioxidantes
Todas as variedades de milho fornecem fitonutrientes antioxidantes que trazem diferentes benefícios do milho à saúde. A combinação exata dos fitonutrientes, no entanto, depende da variedade. O milho de grãos amarelos é mais rico em luteína e zeaxantina. O milho azul tem concentrações únicas de antocianinas e o milho roxo fornece quantidades incomuns do ácido protocatecuico.

Antioxidantes são substâncias que podem proteger as células do nosso corpo de danos causados por radicais livres que podem ocorrer como consequência normal de alguns processos metabólicos, ou ainda a partir da exposição a certos produtos químicos, tabagismo, poluição e radiação.

Consumir alimentos ricos em antioxidantes serve para garantir a saúde do coração e pode também ajudar a reduzir o risco de infecções e algumas formas de câncer.

2- O grão representa boa fonte de proteínas
Uma porção de um copo de milho fornece 5 gramas de proteína, o que representa cerca de 10% da dose diária recomendada por nutricionistas. As proteínas obtidas a partir do consumo do milho contêm praticamente todos os aminoácidos essenciais à nossa saúde diária, com exceção apenas à lisina, o que pode ser resolvido adicionando feijão, ovos, aves ou carne magra à refeição.

O nosso organismo precisa de proteínas completas em cada refeição para que possamos obter a dose diária recomendada e assim garantir a saúde das nossas células e órgãos, dos nossos músculos, do nosso tecido conjuntivo e dos nossos ossos. As mulheres devem consumir 46 gramas de proteína por dia, enquanto os homens precisam de 56 gramas.
3- Milho contém fibras em abundância
As fibras do tipo insolúveis são benéficas porque ajudam na formação do bolo fecal e previnem a constipação no intestino. As do tipo solúvel se ligam às moléculas de colesterol e ajudam a arrastá-las para fora do organismo, o que ajuda a reduzir os níveis de gordura no sangue e reduz o risco de doença cardiovascular.

O milho contém uma boa quantidade de fibras, sendo a maior parte do tipo insolúvel. Em cerca de 100 gramas da adorada pipoca de cinema há cerca de 20 gramas de fibra. Este montante é cerca de metade da ingestão diária adequada para homens e mulheres.

Pesquisas estabeleceram a ingestão recomendada de fibras baseando-se no total necessário para proteger a saúde do coração. Em um copo de milho cozido há cerca de 4 gramas de fibras, o que é cerca de 15% do total que devemos ingerir diariamente. 

4- O cereal contém ácido fólico
O nosso corpo depende de ácido fólico para metabolizar DNA (Ácido Desoxirribonucleico) e proteínas. Este ácido é uma vitamina do complexo B e precisa estar presente no nosso organismo, especialmente nas mulheres em idade fértil porque previne eventuais defeitos de nascença no feto que podem ocorrer nas primeiras semanas após a concepção. Ela também ajuda a proteger o coração uma vez que converte um aminoácido chamado homocisteína cujos níveis elevados podem danificar os vasos sanguíneos.

Além disso, ele é vital para outros processos metabólicos como a produção de neurotransmissores cerebrais. Um copo de milho cozido contém 34 microgramas de ácido fólico, nove por cento da dose diária recomendada por especialistas.

5- O milho é uma fonte rica de calorias
O milho é uma fonte rica em calorias e por isso é a base da alimentação de muitas populações e tem papel vital para a sobrevivência de dezenas de países de base agrícola. Cada 100 gramas milho cozido contém 90 calorias, um dos valores mais elevados entre os cereais. Seu alto teor calórico garante a saciedade, mas pode ser um vilão para o ganho de peso rápido quando ingerido em excesso. 

6- Seus grãos contêm muitas vitaminas e minerais
O milho é fonte de muitas vitaminas e minerais, o que lhe garante propriedades nutricionais únicas. A quantidade destes nutrientes varia de acordo com o tipo de grão. O milho de pipoca tende a ter quantidades maiores de minerais, enquanto o milho verde tende a ser mais rico em vitaminas.
Minerais em destaque no milho de pipoca
Cobre: Um antioxidante cuja ingestão inadequada pode ter efeitos negativos na saúde do coração;
Fósforo: Encontrado em quantidades aceitáveis tanto na pipoca quanto no milho verde. Ele desempenha um papel importante no crescimento e manutenção dos tecidos do corpo;
Magnésio: A carência de magnésio no organismo pode aumentar o risco de muitas doenças crônicas como doenças do coração;
Manganês: Um mineral essencial encontrado em quantidades elevadas em grãos integrais, frutas e legumes;
Zinco: Elemento essencial para o bom funcionamento do sistema imunológico;

Vitaminas presentes no milho verde
Ácido pantotênico: Também chamado de vitamina B5, ele pode ser encontrada em certa medida, em quase todos os alimentos e sua deficiência é, portanto, rara;
Ácido Fólico: Também conhecido como vitamina B9, é um nutriente essencial, especialmente importante durante a gravidez;
Niacina: Também chamada de vitamina B3, é mais bem absorvida a partir do milho quando este é cozido junto com uma substância alcalina como a cal hidratada. A niacina pode prevenir e tratar o colesterol alto;
Potássio: um nutriente essencial importante para o controle da pressão arterial e que pode melhorar a saúde do coração;
Vitamina B6: Também conhecida como piridoxina. Ela favorece a respiração celular e ajuda no metabolismo das proteínas.